15 January 2016

Por que nem tudo é storytelling? Qual o lugar das histórias nas organizações?

Como qualquer outra técnica, o storytelling é contingencial: deve ser adaptado às situações e aos momentos organizacionais, e deve ser visto apenas como mais uma ferramenta de comunicação, como outras que estão à disposição das organizações hoje em dia. As histórias não se tornam ciência porque não servem em qualquer propósito organizacional, mas podem tornar-se estratégia quando aplicadas com  transparência, integridade, emotividade e intencionalidade que merecem. Neste artigo vamos apresentar três ressalvas que explicam porque nem tudo o que se faz nas organizações é storytelling e apontar seis contextos onde as histórias fazem sentido nas empresas.

Ana Gil,  Consultora Sénior na Área Corporativa en Digital da LLORENTE & CUENCA Portugal

ESPAÑOL
ENGLISH
PORTUGUÊS
PORTUGUÊS-BRASIL

Artigos Relacionados

Este sitio web utiliza cookies, tanto propias como de terceros, para recopilar información estadística sobre su navegación. Si continúa navegando, consideramos que acepta su uso.

ACEPTAR
Aviso de cookies