03 March 2016

A contribuição chinesa para a reformulação do modelo latino-americano

Os laços entre a China e a América Latina são estáveis apesar de se terem construído num período relativamente curto. Mesmo com a atual conjuntura econômica, tudo indica que esta relação será de longo prazo e não se debilitará.

A análise destas relações permite pôr de manifesto os problemas de um modelo de desenvolvimento econômico assentado na região desde o século XIX. Este modelo é baseado na exportação de matérias-primas que, embora lhe tenha trazido grandes benefícios em épocas diferentes, tem limitações importantes.

As possibilidades de crescimento e progresso passam por uma condição sine qua non, o sistema de exportação de produtos primários sem valor agregado não pode continuar subsistindo na economia atual. A América Latina precisa de um sistema econômico sustentável e para isso precisa enfrentar uma mudança de caráter estrutural.

José Antonio Llorente, sócio-fundador e presidente LLORENTE & CUENCA

ESPAÑOL
ENGLISH
PORTUGUÊS
PORTUGUÊS-BRASIL

Artigos Relacionados

Este sitio web utiliza cookies, tanto propias como de terceros, para recopilar información estadística sobre su navegación. Si continúa navegando, consideramos que acepta su uso.

ACEPTAR
Aviso de cookies