30 July 2014

Licença social para operar ou a importância dos resultados financeiros na indústria farmacêutica

A indústria multinacional farmacêutica enfrenta uma das piores crises de reputação dos últimos trinta anos. Medidas adotadas por diversos governos, como a redução de privilégios em matéria de propriedade intelectual, o controle de preços de remédios ou o favorecimento à indústria de genéricos revelam que os laboratórios de pesquisa e desenvolvimento perderam o apreço dos cidadãos, a consideração das autoridades e sua licença social para operar.

O acentuado ênfase sobre os resultados financeiros e a proporcionalmente baixa preocupação com os pacientes e a sustentabilidade dos sistemas de saúde podem ser consideradas as causas principais da atual crise.

A tarefa de elevar o perfil de reputação de um setor tão fortemente regulado é complexa. Mas três passos podem marcar um bom começo para consertar os erros e recuperar a estima dos cidadãos: o aumento das ações e as comunicações colaborativas entre os associados da organização entre si, e entre a organização e seus principais grupos de interesse; a elaboração de um novo storytelling focado nas pessoas e considerado com as limitações financeiras dos sistemas de saúde; e o reconhecimento dos erros e a busca do perdão da sociedade.

Alejandro Romero, CEO LLORENTE & CUENCA LatAm
Carlos Dáguer,
Diretor Sênior, LLORENTE & CUENCA Colômbia

ESPAÑOL
ENGLISH
PORTUGUÊS
PORTUGUÊS-BRASIL

Artigos Relacionados

Este sitio web utiliza cookies, tanto propias como de terceros, para recopilar información estadística sobre su navegación. Si continúa navegando, consideramos que acepta su uso.

ACEPTAR
Aviso de cookies